Visual merchandising em ecommerce equivale ao vitrinismo das lojas físicas de retalho. Quando entramos numa loja física, caminhamos numa experiência que não está montada ao acaso. Os produtos são combinados e expostos de determinada forma para se tornarem mais apelativos ao cliente e para lhe chamar a atenção de determinados artigos. 

Todos gostamos de entrar numa loja devidamente arranjada, com os artigos expostos de forma organizada. Se entrássemos numa loja com os calções de verão misturados com casacos, ou tops misturados com calças, certamente iríamos sair imediatamente, pois seria uma experiência de compra desagradável. 

O mesmo se aplica à sua Loja Online. Quanto tempo perde a arranjar e a organizar os seus produtos nas listagens? Que regras de visual merchandising usa? Neste artigo vamos abordar tudo sobre esta ferramenta valiosa em ecommerce e porque deve implementá-la no seu website. 

O visual merchandising envolve várias áreas da plataforma de ecommerce: a categorização dos produtos em famílias e subfamílias, os filtros a aplicar na navegação dos produtos e a organização dos produtos dentro de uma listagem. Este último é o menos comum mas com maior potencial. Normalmente as plataformas de ecommerce organizam os produtos de acordo com a entrada da referência na plataforma (do mais recente para o mais antigo) ou por preço. Com uma ferramenta de visual merchandising poderá ser capaz de organizar os produtos com base em automatismos ou de forma manual, por cores, tendências, stock disponível, procura e vendas ou até pela meteorologia. 

Existem, essencialmente, três formas de organizar os seus produtos na sua loja online: através de regras visuais (como cores, texturas, formatos,…), regras contextuais (novidades, stock,…) ou regras comportamentais (produtos mais visualizados, mais comprados,…). 

Regras visuais

As regras visuais de visual merchandising prendem-se ao aspeto do produto e a forma como ele combina com os produtos no seu redor:

  • Cor;
  • Textura;
  • Formato;
  • Categoria do produto (produtos semelhantes);
  • Tipo de fotografia de produto;

A parte visual é das mais importantes do visual merchandising, daí o seu nome. Quando entramos numa página, a nossa primeira impressão demora cerca de 2 a 3 segundos a ser criada. Assim, as primeiras linhas de produto, ou a parte superior da página (antes do scroll) deve ser especialmente apelativa em termos visuais: deve usar os seus produtos bandeira e ter uma harmonia visual de cores e texturas, que crie a vontade ao utilizador de continuar a fazer scroll na página para ver mais conteúdos ou mais produtos. 

Este é tipo de visual merchandising normalmente mais manual e que exige mais tempo para organizar e obter o resultado pretendido.

Regras contextuais 

O aspeto visual do visual merchandising é, sem dúvida, muito importante. No entanto, existem outras regras que, mesmo não sendo percetíveis a quem está a navegar numa listagem, vão tornar a navegação mais inteligente e personalizada, e por isso, com  mais probabilidade de converter. As regras contextuais têm que ver com os produtos em si, as suas características e os contextos em que eles se inserem. Estes fatores podem ser:

  • Stock disponível;
  • Novidades;
  • Promoções/Descontos;
  • Tendências;
  • Marca;
  • Estação;

Regras comportamentais

As regras comportamentais de visual merchandising, como o próprio nome indica, têm que ver com o comportamento dos utilizadores dentro do website de ecommerce. É um nível de visual merchandising mais complexo e personalizado, e por isso tem também melhores resultados. Algumas opções comportamentais incluem, por exemplo:

  • Mais visualizados;
  • Mais adicionados ao carrinho;
  • Mais visualizados;
  • Melhores classificados;
  • Mais comprados.
Visual Merchandising na Listagem de Produtos da Michael Kors
Visual Merchandising na Listagem de Pordutos de Homem da Tommy Hilfiger

Como pode ver, existe realmente uma imensidão de regras e opções no que toca ao visual merchandising e à organização dos produtos. Não existe, infelizmente, uma fórmula secreta de ingredientes para o visual merchandising mais eficaz, tudo terá que ver com o negócio em si e os produtos que está a vender. O importante é reconhecer os fatores mais importantes para a sua loja online e possuir uma ferramenta que lhe permita jogar com todas essas regras, ou seja, atribuir níveis de importância (em percentagem, por exemplo) a cada regra e automaticamente organizar as listagens mediante essa fórmula que definiu. 

Por exemplo, numa listagem de biquínis poderá querer organizar da seguinte forma:

  1. 44% Novidade
  2. 28% Stock disponível
  3. 28% Mais visualizados

Já numa listagem de calçado em Outlet poderá querer definir de forma diferente:

  1. 57% Percentagem de desconto
  2. 43% Stock disponível

 

De notar que, é importante também trabalhar alguns aspetos mais manuais, relacionados com as regras visuais do visual merchandising e com as primeiras linhas de produto. Aqui deverá dispor os seus produtos mais apelativos e os melhores conteúdos (imagens, vídeos, GIF’s,…) para agarrar de imediato a atenção do cliente e dar-lhe a vontade de querer continuar a fazer scroll para ver mais. 

A implementação de um sistema flexível de organização dos produtos na sua loja online é de extrema importância, mesmo que não tenha uma grande lista de referências. Aconselhamos que inclua essa funcionalidade no seu caderno de encargos (caso trabalhe com um parceiro externo), ou peça ao seu programador que desenvolva ou encontre um plugin que permita organizar os produtos da forma que lhe é mais conveniente. 

O importante é que inclua o visual merchandising nas suas prioridades e dê a devida atenção à organização dos seus produtos. Não se esqueça: os utilizadores “caminham” virtualmente na sua loja online como fariam numa loja física, e não vai querer ter uma loja desorganizada e pouco apelativa. 

 


Bárbara Costa
Bárbara Costa

Ecommerce & Digital Marketing Consultant