Nem todos os produtos são passíveis de serem vendidos online, sendo que existem uma série de fatores-chave que deve procurar ter se está a pensar em vender um novo produto online. Já abordamos com  detalhe quais são estes fatores, que poderá consultar no nosso artigo: 

10 Características do produto perfeito para Ecommerce

Depois de estar confortável com as características mencionadas anteriormente e estiver pronto para lançar o seu novo produto online, existem alguns passos, ou considerações, que deverá seguir:

1- Validar se o produto se enquadra nos seus objetivos de investimento e de vendas

É importante que, antes de tudo, reflita sobre o produto que pretende comercializar e as suas vantagens e desvantagens. Poderá, por exemplo, atribuir uma pontuação a cada ponto: sugerimos uma pontuação de 0 a 10, de forma a que consiga ter uma visão global dos pontos fortes e dos pontos fracos. Depois desta análise, poderá compreender melhor se o produto se enquadra nas suas expectativas e objetivos. Sugerimos uma série de questões que podem ajudá-lo a identificar as principais oportunidades e ameaças do seu produto:

  • O produto enquadra-se num nicho de mercado com potencial internacional? 
  • Resolve um problema do consumidor?
  • Resolve uma necessidade básica?
  • É uma tendência do passado, atual ou futura?
  • O valor percebido do produto está acima dos 50€?
  • Qual a segmentação de clientes?
  • É um produto sazonal?
  • Peso encontra-se entre 0gr e 1kg?
  • Peso encontra-se entre 1kg e 2kg?
  • Peso superior a 2kg?
  • É consumível?
  • É perecível?
  • O cliente poderá comprar mais do que uma unidade?
  • Obriga o cliente a experimentar o produto antes de comprar?
  • O cliente poderá comprar mais do que uma vez?
  • Poderá ter uma elevada taxa de devolução ou troca?
  • É permitido publicitar o produto online?
  • Permite fazer upsells ou cruzar venda com outros produtos?
  • O produto pode ser vendido internacionalmente?
  • É produzido localmente?
  • É produzido internacionalmente?
  • Compramos matéria-prima ou produto acabado?
  • Produzimos internamente ou num fornecedor?
  • Quais os custos de transporte e armazenamento?
  • Qual a quantidade mínima de produção?
  • Qual o valor mínimo de produção?
  • Quanto tempo demora a produzir?
  • Qual o tipo de transporte necessário?
  • Obriga a desenvolvimento de produto ou adaptação?
  • Permite private labeling (colocar a nossa marca num produto de fábrica) ou drop shipping (envio direto do fornecedor ao cliente)?

2 – Testar se o produto tem interesse para o seu consumidor-alvo

 

Depois de compreender melhor o potencial do seu produto, é necessário passar para a fase de testes com potenciais clientes. Recomendamos que, em primeiro lugar, converse com pessoas que já comprem produtos semelhantes. A este passo chamamos de user research (pesquisa junto de consumidores reais), que pode ser feito com uso a plataformas online e onde deverá agendar entrevistas com potenciais clientes. Não precisa de fazer mais do que 10 entrevistas, pois verá que as respostas começam a ser repetidas. Crie um guião de entrevista, focado nas questões que quer ver respondidas, mas dê também abertura para o entrevistado falar sobre as suas experiências abertamente. Poderá recolher informação de muita qualidade apenas por deixar o entrevistado falar. 

É importante que deste user research consiga responder às seguintes questões:

  • Quem são os meus potenciais clientes?
  • O que compram online?
  • Que marcas usam?
  • Onde fazem as suas compras?
  • Com que frequência compram?
  • Quanto costumam gastar?
  • O que valorizam neste tipo de produto?
  • O que valorizam na experiência de compra online?
  • Que marcas seguem?
  • O que os influencia?
  • O que fazem no seu dia-a-dia?

 

De seguida – ou em simultâneo, se tiver equipa disponível para o fazer -, efetue a análise de concorrência e de mercado. Identifique os seus concorrentes diretos e indiretos, e analise as estratégias que estão a implementar online e offline. Procure investigar a usabilidade das lojas online da concorrência, a estratégia em redes sociais (frequência de publicação, tipo de conteúdos e interação dos seguidores das marcas) e registe-se nas lojas online para receber a sua comunicação. Pode ainda usar ferramentas como o similar web (https://www.similarweb.com/) para verificar quais as fontes de tráfego às lojas online da concorrência. Desta forma poderá identificar potenciais estratégias a seguir e onde deve focar-se mais durante a fase de lançamento da marca.

3 – Criação da marca e registo 

 

Um dos passos mais difíceis de concluir é a definição do nome da marca e o seu registo. A maior parte dos termos de uso comum já estão a ser usados ou não poderão ser usados no registo de marcas. Experimente usar combinações de palavras para criar uma marca nova e recorra a um profissional (um advogado ou uma empresa especializada em registo de marcas), para confirmar que a marca efetivamente poderá ser registada. Tente reunir pelo menos 3 propostas de nomes antes de partir para o registo da marca. De seguida, defina onde pretende efetuar o registo (recomendamos que seja feito a nível internacional) e as classes associadas. Poderá, por exemplo, apenas registar a marca numa determinada classe porque noutra classe já existe uma marca igual ou semelhante. Como este é um processo longo, se tiver algumas garantias de que a marca não deverá ser contestada, sugerimos que efetue a compra dos domínios para a sua loja online e inicie o processo de design. 

Como ainda vai testar a marca no mercado, não se comprometa demasiado: efetue um baixo investimento no design nesta fase pois corre o risco de a marca não ser aprovada e ter de iniciar o processo de novo.

Depois da análise da concorrência e de mercado concluída, terá já uma boa base de trabalho para desenvolver a sua estratégia. Relembramos que nesta fase quer apenas efetuar alguns testes e, por esse motivo, não necessita de uma estratégia muito elaborada e com imensos pontos de contacto. Produza conteúdo com o foco nas vantagens competitivas do seu produto e de acordo com o feedback que recolheu do seu potencial cliente. Teste este conteúdo com publicações e promoção nas redes sociais da marca, em websites de vendas diretas como Ebay ou Olx e em Landing Pages da marca. Invista na promoção do conteúdo (entre 500€ a 1.000€) e verifique a quantidade de visualizações (impressões), cliques e visitas à Landing Page entretanto criada. 

Se tiver essa possibilidade, é também interessante testar a venda de produtos offline. Muitas cidades e até aldeias têm feirinhas mensais dedicadas a pequenos produtos ou a artesanato. Se o seu produto se enquadrar, pode fazer o teste com clientes reais num destes mercados.

4 – Estratégia de lançamento da loja online

 

Depois do teste efetuado já terá as páginas da marca abertas e pelo menos uma landing page. Aproveite os conteúdos já produzidos e invista num calendário editorial com o objetivo de angariar seguidores para a marca e registos na base de dados. Promova os conteúdos via as páginas da marca. Contacte potenciais influenciadores para a sua marca e inicie uma relação que se espere que seja duradoura. Ofereça os seus produtos em troca de conteúdo ou de feedback sobre o mesmo. Em simultâneo, procure parceiros que possam vender os seus produtos noutros canais ou lojas online. Com esta estratégia conseguirá aumentar a notoriedade da sua marca e garantir uma base de dados antes do lançamento. Para garantir que os potenciais clientes se disponibilizam a registar-se, ofereça algo em troca, como por exemplo uma oferta especial para os 100 primeiros inscritos. Tente distribuir algumas ofertas antes do lançamento oficial da marca por forma a aumentar o interesse junto dos seus potenciais clientes. 

Nesta fase consideramos que já escolheu o seu parceiro e que a loja online se encontra em fase de desenvolvimento ou próxima da sua abertura. Neste momento deve dedicar-se à produção final dos conteúdos e upload dos mesmos para o backoffice da loja online. Caso ainda não tenha escolhido o seu parceiro tecnológico, recomendamos a leitura dos seguintes artigos:

5 Questões a colocar na escolha da sua plataforma de ecommerce

Caderno de Encargos para Ecommerce

Depois de ter angariado a base de dados na fase de pré-lançamento tem agora a oportunidade de comunicar para um conjunto de potenciais clientes que já conhecem a marca de alguma forma e têm interesse em receber atualizações sobre o seu produto. Não se esqueça de investir continuamente na sua estratégia; apenas o lançamento não é suficiente para atrair clientes a longo prazo e vender os seus produtos com a frequência necessária para manter o seu negócio em atividade. 

Aprenda mais sobre estratégia digital nos seguintes artigos:

Estratégias de retenção para alavancar o seu ecommerce

Estratégia de lançamento de uma loja online

7 estratégias de Growth Hacking para Ecommerce

5 estratégias offline para promover o seu negócio de ecommerce

8 estratégias para aumentar a fatura média do seu ecommerce

 

Quer aprender mais sobre Ecommerce?

Temos um curso intensivo completo, no Porto e em Lisboa, com mais de 10 módulos sobre Ecommerce e Marketing Digital!


Bárbara Costa
Bárbara Costa

Ecommerce & Digital Marketing Consultant