A SWOT é uma ferramenta utilizada para a análise dos aspetos internos e externos da empresa, de modo a tomar consciência do cenário em que a mesma está inserida. Esta deve ser realizada aquando a criação da loja online e posteriormente atualizada, uma vez que, os fatores externos e internos que afetam a empresa estão em constante mudança.

Neste artigo, vamos explicar-lhe como fazer uma análise SWOT para o seu negócio de ecommerce, quer este se encontre em fase de lançamento ou de reformulação da estratégia.

O que é a análise SWOT e quais são as suas aplicações?

SWOT é um acrónimo inglês composto pelas palavras:

 

  • Strengths (forças) – todas as caraterísticas do negócio que são boas e podem ser descritas como uma força.
  • Weaknesses (fraquezas) – todos os fatores que constituem dificuldades para o negócio.
  • Opportunities (oportunidades) – todas as oportunidades de mercado que podem ser aproveitadas pela empresa através de recursos próprios.
  • Threats (ameaças) – forças do mercado, como concorrentes ou outros fatores externos, como uma mudança nas leis locais, que possam ameaçar o negócio.

Tabela SWOT

Análise SWOT para ecommerce

 

Antes de avançar para a análise SWOT devem realizar-se alguns passos:

1. Angariar dados objetivos

É importante possuir dados objetivos com números exatos acerca do desempenho do negócio.

Exemplos de dados objetivos a angariar:

    • Tráfego atual do website – visitantes únicos mensais, visualizações de páginas por mês, tendências de tráfego, taxa de rejeição.
    • Taxas de conversão – analisar a percentagem de tráfego que converte, quer seja o objetivo de conversão uma compra, ou uma lead, uma subscrição, ou outros. Deve-se angariar dados relativos a produtos individuais, categorias de produtos e da loja online inteira.
    • Taxa de fidelização do consumidor – analisar a percentagem de consumidores que repetem a compra em comparação com novos consumidores.
    • Estatísticas das redes sociais – média de likes e comentários e respetiva taxa de crescimento e engagement.
    • Estatísticas de envio – tempos de entrega, percentagens de atraso, custos de envio
    • Customer Lifetime value do consumidor e valor médio do carrinho de compra.
    • Dados de aquisição de clientes – fontes de angariação de clientes, fontes de conversão, custo de aquisição por canal.
    • Dados de SEO – rankings de keywords atuais, métricas especificas de dominio.
    • Métricas de eficiência – Tempo médio de resposta por consulta do cliente, tempo médio de embalagem e envio de produtos individuais.

 

2. Angariar dados subjetivos

É importante analisar a satisfação dos clientes em relação à usabilidade da sua loja online e aos seus produtos. Para além dos clientes, também se deve analisar o grau de satisfação e possíveis problemas dos trabalhadores.

Exemplos de dados subjetivos a angariar:

  • Grau de satisfação dos clientes em relação aos produtos e à usabilidade do site através de inquéritos e entrevistas que podem ser realizados por e-mail, no site, ou mesmo por telemóvel
  • Grau de satisfação dos colaboradores através de entrevistas e análise de que especialidades a equipa possui e quais as possíveis áreas que deve de contratar.

 

Este segundo passo deve ser realizado de forma a encontrar aquilo que a empresa faz melhor (as suas forças) e aquilo que precisa de melhorar (as suas fraquezas).

 

3. Análise dos concorrentes

A análise dos concorrentes está na base da descoberta das oportunidades e as ameaças externas que podem afetar a empresa.

É importante listar os concorrentes diretos e indiretos e encontrar informações como:

  • Gama de produtos – quais são os produtos dos concorrentes e quais os que se assemelham com os que vendemos. Que produtos novos pretendem lançar e quais os que foram descontinuados.
  • Preços praticados – que preços são praticados tanto para produtos, como para transportes, ou mesmo devoluções.
  • Promoções – que formas de publicidade utilizam.
  • SEO – análise dos domínios e ranking de keywords.
  • Presença em redes sociais.
  • Apoio ao cliente – que canais de suporte são utilizados e que tempos de resposta possuem.
  • Métodos de pagamento.  
  • Design do website e usabilidade.
  • Métricas das empresas concorrentes – tamanho da empresa, receita anual, crescimento anual.

 

4. Entender as tendências de mercado

Convém tentar responder a questões como:

  • Qual a procura futura e atual dos produtos que vende?
  • Tendências de mercado que podem aumentar a procura dos seus produtos?
  • Que legislações que podem afetar o negócio online?
  • Que desenvolvimentos tecnológicos podem afetar a produção dos produtos?

 

5. Realizar a análise SWOT

Exemplo da loja online OLX

Forças:

  • Está presente em mais de 100 países e, portanto, tem uma grande curva de aprendizagem.
  • Recebe milhares de milhões de visualizações de páginas por mês, o que significa que a marca tem grande visibilidade.
  • Forte apoio da Naspers, que tem experiência em trabalhar com gigantes do comércio eletrónico.
  • Campanhas publicitárias fortes tornaram o OLX popular entre os telespectadores, recebendo grande notoriedade.
  • A OLX é líder de mercado em negócios de C2C (consumer to consumer) em países como a Índia.
  • É possível visualizar o site na própria língua materna.
  • Pode aceder-se ao site através de várias plataformas.

Fraquezas:

  • Falta de recursos para converter clientes offline em potenciais clientes online.
  • Competição intensa levando a um ROI limitado, devido a grandes investimentos em marketing.
  • Garantia de qualidade não pode ser assegurada.
  • Possibilidade de fraude.
  • Possíveis problemas de transporte.

Oportunidades:

  • Diversificação do portfólio de produtos através da implementação de mais subcategorias.
  • Possível venda offline em determinados países através de Kiosks como forma de aumentar ainda mais as vendas através de clientes que só compram offline e aumentar também o brand awareness.

Ameaças:

  • Angariação de fundos e crescimento de concorrentes como a Quickr
  • Lojas offline que façam a compra e venda de produtos usados.

 

A análise SWOT deve ser um processo contínuo e não apenas uma etapa inicial de criação de loja online.

O sucesso neste tipo de análise está no constante ajuste da estratégia consoante as alterações internas e externas à empresa, principalmente se estivermos a falar de ecommerce, que é um mercado dinâmico sempre a mudar, quer seja por alteração de algoritmos de pesquisa da google, ou por abertura de novas lojas online concorrentes.

Quer aprender mais sobre ecommerce? Conheça o nosso curso de lançamento de projetos de ecommerce:

Não perca nenhum conteúdo sobre como criar ou otimizar a sua loja online.

Subscreva a nossa newsletter:
http://eepurl.com/c0z2xb

Siga-nos nas redes sociais:
https://www.facebook.com/tudosecommerce
https://www.instagram.com/tudosobreecommerce
https://www.linkedin.com/company/tudo-sobre-ecommerce