Quando falamos da logística do seu ecommerce, quer se encontre numa fase de lançamento ou de otimização do seu negócio, os transportes são um fator crítico e que em muito podem influenciar a experiência do seu cliente. Quando chega a hora de escolher o parceiro de transporte certo para o seu negócio online, existem diversos fatores e variáveis que vão pesar nessa decisão. Neste artigo, deixamos os pontos-chave que, de acordo com a nossa experiência, o poderão guiar nesta decisão, ou mesmo numa possível renegociação.

 

Quais os principais fatores a ter em consideração?

 

Os principais fatores que costumamos ter em consideração quando estamos a avaliar um parceiro de transportes são, por ordem de importância: O preço, a Amplitude da operação, a Qualidade do serviço, Soluções de integração IT, a Flexibilidade da Operação, a Atitude Corporativa e a Reputação. Devemos, antes de avaliar os potenciais parceiros, atribuir um fator de ponderação a cada um destes fatores, ditando a sua importância. Usamos uma escala de 2 a 5, onde 2 será menos importante e 5 mais importante (por exemplo, as soluções de integração têm um fator de ponderação 4). De seguida, devemos classificar cada potencial parceiro (de 2 a 5, sendo 2 mais fraco e 5 mais forte) em cada um dos fatores. Por fim, uma avaliação ponderada irá multiplicar o fator de ponderação pela classificação, chegando assim a uma avaliação mais justa dos parceiros.

Os fatores de ponderação descritos em baixo são meramente indicativos, com base numa média do mercado. No entanto, pode e deve adaptar estes fatores ao seu negócio de ecommerce em particular, que pode valorizar mais ou menos determinados aspetos.

Exemplo: Claramente o Parceiro A tem uma avaliação ponderada superior ao Parceiro B.

 

Caderno de encargos de transporte

 

Para fazermos um processo de adjudicação ponderado, devemos estruturar um “Caderno de encargos” para transporte, com todas as necessidades do nosso projeto de ecommerce, do ponto de vista logístico e de transportes. Podemos dividir as nossas necessidades em 4 âmbitos diferentes: Âmbito Geral do Serviço, Âmbito Operacional, Âmbito Financeiro e Âmbito de Gestão.

 

1. Âmbito geral do Serviço e do contrato

 

  • Âmbito do serviço pretendido por cada mercado
  • Localização dos Pontos de Venda e Canais de Distribuição
  • Duração do serviço
  • Período e mecanismos de renovação
  • Condições de rescisão
  • Níveis de serviço estipulados (KPI)
  • Serviços complementares (Tracking, 2ª entrega, envio de SMS, etc)
  • Penalidades e benefícios
  • Plano de ações

 

2. Âmbito Operacional

 

  • Mercados onde vamos entregar
  • Volume de vendas expectável (Forecast 12 meses)
  • Volume de devoluções expectável
  • Peso e dimensões expectáveis das caixas (Volumetria)
  • Quantidade de expedições por semana
  • Sazonalidade por mercado
  • Requisitos informáticos e de integrações
  • Requisitos de confidencialidade
  • Requisitos de higiene e segurança
  • Requisitos ambientais

 

3. Âmbito Financeiro

 

  • Breakdown dos custos por cada serviço do transporte
  • Custos excecionais à tarifa base
  • Parâmetros e valores para a revisão do preço
  • Custos de rescisão excecional do contrato
  • Condições de pagamento
  • Procedimento da faturação

 

4. Âmbito de Gestão

 

  • Calendarização do processo de adjudicação
  • Plano de reuniões intercalares
  • Meios e formatos de comunicação

 

Estabelecimento de SLA (Service Level Agreement)

 

O SLA (Service Level Agreement), em português, Acordo do nível de serviço, é o que vai reger os níveis de serviço prestados pelo Parceiro, e deve estar inerente ao seu contrato. Deve incluir a expectativa de ambas as partes dos níveis de serviço (e KPI’s) acordados, bem como as penalidades e benefícios que lhe advém e as medidas corretivas. Alguns exemplos incluem:

  • Taxa de entregas on-time
  • Taxa de recolhas on-time
  • Lead time de entregas e recolhas
  • Taxa de entregas parciais
  • Taxa de extravios
  • Taxa de devoluções resultantes do transporte

 

KPI’s de transporte

 

Por fim, e após a escolha do parceiro de transporte, devemos acompanhar o desempenho do mesmo através de algumas métricas e KPI relativas ao transporte, tais como:

 

  • % entregas on-time
  • % recolhas on-time
  • % devoluções
  • % danificados durante o transporte
  • % encomendas erradas
  • Tempo médio de expedição
  • Tempo médio de entrega
  • Lead time total
  • Custo do transporte em % Vendas

 

Fonte: Apresentação do Orador Pedro Paiva, da 1ª Edição da Conferência Tudo Sobre eCommerce. 

Ver Apresentação completa sobre E-Logistics