Quando se tem uma loja online, é normal querer que a mesma apareça a potenciais clientes em diferentes fases de pesquisa e compra do cliente. Como já foi referido em artigos anteriores é comum os consumidores pesquisarem em motores de pesquisa como o Google, sobre o produto que desejam antes de realizar a compra.

Para que a sua loja online apareça em primeiro lugar em relação aos seus concorrentes, é importante evitar erros básicos de SEO, sejam esses on-page, ou off-page. Tendo em conta isto, listamos um conjunto de erros que consideramos fáceis de contornar e excelentes para melhorar o seu SEO.

1. Título das páginas (title tags) duplicadas e sem as palavras-chave principais.

O título de uma página, ou de um artigo, aparece no topo da janela do browser e é identificado no código HTML com a tag title.
Se o texto for um call-to-action que demonstre relevância, o resultado deverá obter mais cliques.

Title tags

Melhores práticas com title tags

  • As keywords principais devem ser colocadas à esquerda e o nome do site e da marca mais à direita.
  • Todas as páginas devem de ter uma title tag única de modo a evitar conteúdo duplicado.
  • Deve-se minimizar a densidade das keywords.
  • A title tag deve ter o máximo de 60 caracteres.

Title Tag deve ter no máximo 60 caracteres

2. Meta descriptions não trabalhadas

A meta tag description permite resumir o conteúdo num curto parágrafo descritivo. Tem uma forte influência nos resultados de pesquisa – é o texto que aparece nos SERPs em conjunto com o título.

Meta Description

Melhores práticas

  • A meta description deve ser única, tal como a title tag. Se não criar uma meta description, o motor de pesquisa (Google) pode escolher o excerto de texto que vai ser mostrado.
  • É importante dar mais importância a páginas de maior tráfego como a homepage e outras páginas com keywords estratégicas. Deve criar uma descrição com uma call-to-action como fator de diferenciação e que encoraje o click.

3. Conteúdo sem headings h1, h2, etc

Os headings dão uma ideia geral sobre o conteúdo que vem abaixo (do ponto de vista do utilizador) e os motores de pesquisa utilizam-nos para terem uma noção sobre o tópico do conteúdo. As keywords incluídas aqui ganham maior importância do que se forem apenas incluídas no corpo de texto.

Existem vários níveis de headings, sendo que os principais são o h1, o h2 e o h3. A boa prática é ter no mínimo um <h1> único e com keywords relevantes para cada página do seu website.

Headings - h1, h2 e h3

4. Imagens demasiado pesadas e sem alt

As imagens, se bem trabalhadas podem ser uma grande ajuda para SEO. Um dos erros mais comuns é encontrar imagens de websites sem a tag alt. A tag alt das imagens ajuda os motores de pesquisa a saber do que é que a imagem trata.

É boa prática utilizar keywords relevantes relativas ao tópico da página e que descrevam de que se trata a imagem.

Imagem com a tag alt

html-alt-tag

Outro fator pertinente de abordar é a otimização das imagens. Quanto maior o tamanho das imagens do seu website, mais lento ele irá ficar. Daí que se deve tentar sempre otimizar as imagens para web e se possível utilizar ferramentas como o Tinypng.

Idealmente, as imagens maiores do seu website não devem de ultrapassar os 500 KB.

5. Utilização de URL complexo e ilegível

URLs user-friendly que facilitam a leitura e interpretação do conteúdo da página por parte dos utilizadores e dos motores de pesquisa. Se as keywords estiverem no URL da página, estas aparecem também nos SERPs.

Exemplo de uma página com friendly URL:

https://academia.tsecommerce.com/p/curso-legislacao-para-ecommerce

Exemplo de uma página sem friendly URL:

http://www.imdb.com/title/tt0434409/

Melhores práticas

  • O URL deve ser conciso e conter as keywords escolhidas para a página;
  • O URL não deve ser longo;
  • Permitir que o utilizador remova parte do URL e que ele continue a funcionar (pode redirecionar para o nível anterior ou para a página 404);
  • As palavras utilizadas no URL, idealmente, devem ser separadas por hífen.

6. Evitar conteúdo duplicado

Os motores de pesquisa privilegiam o conteúdo original. Em caso de conteúdo duplicado, a página pode ser sujeita a uma penalização, podendo ser inclusive removida do index.
O que normalmente acontece é a página ser considerada como uma página suplementar. É considerada como menos relevante, logo aparecerá em posições mais baixas.

Casos onde as páginas podem não ser indexadas devido a conteúdo duplicado:

  • O Google pode penalizar páginas que dupliquem conteúdo, principalmente quando o conteúdo é “copiado” de outro site.
  • O site pode replicar o seu próprio conteúdo (de forma acidental ou deliberada).
  • Páginas do próprio site consideradas idênticas apesar de terem modificações ligeiras – por ex. em páginas de produtos semelhantes.
  • Páginas idênticas devido a utilização de screen scraper (API para extrair dados dos websites) que copia o conteúdo do nosso site e insere-o noutro site. Se o outro site tiver melhor PageRank, o nosso conteúdo pode ser removido do index.

Por forma a evitar conteúdo duplicado deve de:

  • Utilizar sempre que possível conteúdo único/original.
  • Minimizar as semelhanças entre páginas (títulos, texto de introdução, corpo de texto,…).
  • Para páginas do próprio site que tenham conteúdo duplicado, é possível passar a informação aos crawlers para não indexarem as “versões-cópia”, utilizando o robots.txt (este tema será abordado mais à frente).
  • No caso de o site utilizar conteúdos de fontes externas (por ex. um agregador de notícias), as páginas deverão incluir sempre links para a fonte original.

7. Tempo de carregamento lento e website pesado

Hoje em dia vivemos numa era em que tudo deve ser entregue de forma rápida e adaptada ao nosso estilo de vida.

O mesmo deve acontecer com os websites. Estes devem de ser rápidos e responsivos, ou seja, devem de se adaptar automaticamente ao tamanho do ecrã do cliente.

Para que um site seja rápido pode otimizar as suas imagens como já foi abordado mais acima, reduzir o número de plugins no site, reduzir os redirecionamentos e outras questões mais técnicas.

Para observar a velocidade do seu site pode utilizar o Pingdom. Se o seu website demorar mais de três segundos, deve de otimiza-lo.

Pingdom

Para analisar se o seu website é mobile friendly, pode usar a feramenta do google que se denomina de Google Mobile Friendly Test do google search console.

Mobile Friendly - Google Search Console

8. Ignorar as ligações internas

Os Links internos são links do website que apontam para outro artigo ou página do seu próprio site e são essenciais para a distribuição de autoridade entre as páginas do website e oferecem uma navegação mais fácil aos consumidores.

Quantos mais links internos estiverem direcionados para uma página do site mais essa página tem relevância, pois muito do PageRank é passado para essa página. Normalmente a Homepage é a página que possui maior número de links internos.

As páginas com keywords estratégicas devem ter mais links internos.
A utilização de um breadcrumb (caminho de navegação com links), para além de ser muito eficaz para a geração de links internos, é extremamente útil também para o utilizador pois facilita a sua navegação.

Ao não trabalhar links internos, podemos originar as chamadas páginas singulares (sem links para outras páginas) o que é negativo em termos de SEO. Estas páginas dizem aos crawlers dos motores de pesquisa que o website não tem continuação, levando à possibilidade de existirem páginas não indexadas.

9. Não realizar keyword research

A keyword research faz-se através da análise dos termos de pesquisa que as pessoas inserem em motores de busca como o Google. Ao trabalhar keywords relevantes para o nosso público alvo, descobertas através da pesquisa de keywords, vamos aparecer nos primeiros lugares do motor de busca para essas mesmas keywords.

Saber mais no nosso guia de keyword research.

10. Dados estruturados em falta

É importante implementar os dados estruturados para potenciar os rich snippets e ocupar mais espaço nas páginas de resultados.

Devem ser implementados o máximo de dados estruturados (breadcrumbs, brand, product, etc.) utilizando o Schema.

Para testar se os dados estruturados do seu site estão implementados corretamente, pode utilizar a Ferramenta de teste de dados estruturados.

Dados Estruturados

11. Não configurar o search console

O search console é um serviço gratuito oferecido pela Google que ajuda a monitorar, manter e solucionar problemas da presença do seu site nos resultados da pesquisa orgânica da google

Com o search console pode:

  • Verificar os acessos do crawler e eventuais erros de indexação;
  • Gerar ficheiros robots.txt;
  • Adicionar um sitemap;
  • Obter relatórios que indicam as páginas que contêm tags title e meta description duplicadas, entre outros problemas de otimização.

12. Sitemaps inexistentes

O sitemap é um índice com as páginas do site que resume como os conteúdos estão organizados e ajuda a indexar as páginas do website pelos motores de pesquisa.

Habitualmente, o ficheiro sitemap está localizado na raiz do website

  • www.example.com/sitemap.xml

Pode adicionar um mapa do site através do Google Webmaster tools.

Veja aqui a nossa lista de ferramentas de SEO


Antoine Soares
Antoine Soares

Ecommerce & Digital Marketing Consultant