Ensinar, de forma exaustiva e completa, como fazer anúncios no Facebook, é tarefa para mais do que um post no blog; por isso, neste artigo, vou focar-me na partilha de algumas dicas para que possa otimizar os seus anúncios de Facebook, em formato carrossel. Muitas empresas portuguesas já apostam em anúncios de Facebook como forma de aumentar o alcance das suas mensagens nesta rede social. No entanto, pela minha experiência, verifico que, apesar deste esforço crescente por parte das empresas, ainda existe um enorme potencial na utilização de anúncios de Facebook – que não está a ser aproveitado.

O principal motivo pelo qual as empresas ainda não estão a tirar mais partido dos seus anúncios de Facebook deve-se ao facto de, na maioria das campanhas que realizam, utilizarem apenas a opção “promover publicação”. Isto significa que a empresa faz posts na sua página de Facebook e depois promove esses mesmos posts, ou apenas alguns deles.

Esta prática não tira partido das potencialidades dos anúncios de Facebook, que permitem mostrar conteúdo relevante a um público-alvo altamente segmentado (que pode incluir os clientes da empresa ou os subscritores da newsletter), ou até fazer remarketing a utilizadores que já visitaram o website da empresa mais do que duas vezes sem comprar – entre muitas outras possibilidades.

Para criar esse tipo de anúncios, o formato carrossel é particularmente interessante. De acordo com a definição do próprio Facebook, um carrossel “permite apresentar até 10 imagens e links dentro de um único anúncio para direcionar os utilizadores para locais específicos do website da empresa”. Se o Facebook é uma fonte de tráfego importante para o seu website deve investir mais neste formato de anúncios.

Antes de mais, utiliza o Business Manager do Facebook para gerir a sua página, bem como a sua conta de anúncios? Com esta ferramenta gratuita pode gerir páginas de Facebook, criar contas de anúncios independentes e com métodos de pagamento diferentes, bem como gerir as permissões das pessoas que gerem as páginas e as contas de anúncios, tudo num só local e fora do ambiente do Facebook, onde as notificações, os posts dos amigos e o chat são distrações constantes.

Agora, a primeira coisa que importa definir corretamente é o objetivo da campanha. Este é o primeiro passo que nos é apresentado quando começamos a criar um anúncio e é de facto muito importante, pois a escolha do objetivo vai ter impacto em vários aspectos da campanha, nomeadamente no tipo de otimização para a publicação do anúncios (para cliques, para engagement, para impressões), no momento da cobrança (por clique, por engagement, por impressão), nos locais de publicação do anúncio e no formato no anúncio. Como se verifica na imagem abaixo, existem muitos outros objetivos para os nossos anúncios para além do engagement com os posts.

 

Os objetivos dividem-se em três grupos:

1. Alcance (awareness) – quando quer dar a conhecer a marca a uma vasta audiência relevante para o seu negócio.
2. Consideração (consideration) – quando quer apresentar a sua marca na fase em que os utilizadores já revelaram interesse no seu produto ou serviço.
3. Conversão (conversion) – quando quer levar os utilizadores ao seu website para que realizem a compra.

A escolha do objetivo muda o comportamento do anúncio, dado que o Facebook mostra os anúncios aos utilizadores com maior propensão para realizar a ação que definiu. Se escolhe sempre “engagement” como objetivo do anúncio (que é o que faz quando apenas promove os seus posts), o Facebook vai mostrar o anúncio a pessoas que têm maior propensão para gostar, comentar e partilhar posts.

No entanto, se definiu “tráfego para o website” como objetivo, o Facebook vai mostrar o anúncio a pessoas que dentro da plataforma têm maior propensão para clicar em links e visitar websites. Ou seja, a definição do objetivo só por si já faz muita diferença, pois o Facebook não vai mostrar o nosso anúncio a todos os utilizadores que fazem parte da nossa audiência, vai mostrar aos que apresentem maior probabilidade de atingir o objetivo definido pelo anunciante.

Com um anúncio em formato carrossel pode apresentar várias opções aos utilizadores, isto é, com apenas um anúncio pode dar a conhecer vários aspectos da sua empresa, ou até mesmo contar uma pequena história, usando os 10 quadrados disponíveis. Por exemplo, o carrossel abaixo pretende responder às perguntas mais frequentes dos clientes desta marca.

 

Repare como cada quadrado do carrossel pode (e deve) ter um texto único. Esse texto é o headline e não deve ter mais do que 40 caracteres. O headline serve para dar mais informação sobre o que estamos a ver em cada imagem, levando o utilizador a clicar naquela que mais lhe interessar. Cada imagem pode ainda ter uma descrição única – que não deve ultrapassar os 20 caracteres -, e que permite dar mais detalhe ao anúncio.

Cada uma das imagens do carrossel pode também ter o seu link único. Não desperdice um formato com tanto potencial ao colocar em todas as imagens um link para a homepage do website. Quer a imagem mostre um produto ou uma parte da história que está a contar, quando o utilizador clicar deverá ser direcionado para uma página específica no seu website, relacionada com a informação que o levou a clicar. Por este motivo é também muito importante ter uma grande consistência na comunicação e coerência visual entre o anúncio de Facebook e as páginas de destino do website.

No carrossel que está a servir de exemplo, se clicar na terceira imagem (relativa à política de trocas e devoluções), será direcionado para a página abaixo. Repare na coerência visual entre a imagem do carrossel e a respetiva página do site, tornando toda a comunicação mais relevante.

 

Caso tenha optado por contar uma história, isto é, por colocar as imagens numa sequência lógica, tenha em atenção que o Facebook coloca por definição ativa uma opção que reorganiza as imagens conforme aquelas que vão tendo mais cliques.

No exemplo seguinte, as imagens têm continuação de um quadrado para outro, formando um sapato, logo essa opção tem de ser desativada. No caso de o design de cada quadrado ser independente, pode deixar ativa a opção de o Facebook reorganizar o carrossel por popularidade.

 

 

Note que esta funcionalidade só está disponível no Feed de Notícias e no Instagram. Para todos os outros locais de publicação, as imagens aparecerão na ordem em que foram carregadas.

 

 

O post em formato carrossel tem também um copy, que idealmente não deve ultrapassar os 90 caracteres. E se um carrossel já são vários links num mesmo anúncio, então no copy do post não é necessário estar ainda outro link. Use os 90 caracteres disponíveis para incluir uma proposta de valor credível e relevante, que permita ao utilizador compreender rapidamente porque está a ver o anúncio e que benefícios vai obter ao clicar para visitar o website da empresa. O copy do post pode também criar um sentido de urgência, de última oportunidade, para que os utilizadores se sintam tentados a clicar.

Repare como nos dois exemplos apresentados, e que considero bons, nenhuma das imagens tem texto ou o logotipo da marca sobreposto. O logotipo está sempre presente na imagem de perfil e na última imagem do carrossel (a não ser que o retire), além de o nome da marca acompanhar sempre a imagem de perfil. Não existe qualquer dúvida sobre qual é a marca e o seu logotipo. Assim sendo, as imagens utilizadas são vivas, muito coloridas, e que facilmente associamos à marca, comunicando com os utilizadores de forma mais emocional e impactante.

Neste artigo foquei-me apenas em explicar como pode tirar mais partido dos anúncios de Facebook em formato carrossel. Partilhe as suas dúvidas e questões na secção de comentários e eu irei abordá-las em próximos posts sobre este tema!

 


Sónia Costa
Sónia Costa

Social Media & Digital Marketing Consultant