As redes sociais fazem parte das nossas vidas e não há forma de fugirmos a esta realidade, senão vejamos: 83% dos portugueses visita sites de redes sociais várias vezes por dia, dedicando-lhes uma média diária de 93 minutos.

O Facebook é considerado pelos portugueses a rede social mais interessante e o Instagram a mais atual. E agora para as empresas: conhecer as promoções foi a razão apontada por um quarto dos inquiridos do estudo realizado pela Marktest Consulting para seguir marcas nas redes sociais.

O acesso a redes sociais é sobretudo feito por telemóvel, entre as 20 e as 24 horas, e sábados e domingos são os dias em que se dedica mais tempo a redes sociais.

As redes sociais sofreram várias alterações na sua utilização em tempos de pandemia de covid-19. Conheça cinco das principais tendências em redes sociais pós-covid-19 e como as adaptar à sua loja online.

1. As redes sociais tornaram-se na principal fonte de notícias

Manter-se informado e a par das notícias sempre foi uma das principais razões citadas para a utilização das redes sociais pela generalidade dos utilizadores. No entanto, a pandemia de covid-19 acelerou esta tendência global de utilizar e confiar nas redes sociais para ir acompanhando os últimos desenvolvimentos noticiosos.

Ao procurar informações, muitos desejam também participar nas discussões que se geram em torno das notícias.

Como pode adaptar esta tendência à sua loja online: forneça informação prática que ajude as pessoas a lidar com a situação. Com muitas pessoas a recorrer às marcas para suporte durante este tempo, demonstrar autenticidade e ser genuíno será particularmente importante daqui para frente. Use o seu know-how para dar dicas e sugestões aos seus clientes, ou partilhe histórias de sucesso ou de transformação que existam graças à sua marca.

Informe também o que está a fazer para a sua loja online dar resposta aos clientes durante a pandemia, como medidas de higiene adotadas, novos horários de funcionamento, tempos de envio das encomendas, o que está a fazer pelo bem estar de todos os seus colaboradores, entre outros conteúdos informativos relevantes.

Poderá também criar ofertas e benefícios exclusivos para clientes da marca. Como pode ler com mais profundidade no nosso artigo O que mudou no Ecommerce [com a pandemia], “neste momento, o foco dos clientes, está nas marcas em que mais confiam.” Portanto, mostre aos seus clientes que é digno da sua confiança ao criar ofertas e benefícios exclusivos para quem já lhe costuma comprar.

2. Os consumidores digitais estão a usar as redes sociais para entretenimento mais do que antes da pandemia

Já escrevi inúmeras vezes sobre este facto, o de as pessoas usarem as redes sociais, e a Internet em geral, para se entreterem, para se divertirem, para ocuparem o tempo.

A pandemia, o confinamento e os distanciamento social vieram acentuar esta tendência. Ao passar mais tempo em casa e longe de familiares e amigos, os utilizadores aumentaram significativamente o tempo que passam por dia nas redes sociais, procurando por um lado manterem-se informados, mas por outro usando estas plataformas como um escape da realidade.

razoes para usar redes sociais
Gráfico retirado do GlobalWebIndex’s flagship report 2020

Estar em contacto com a família e os amigos, ou partilhar fotografias e vídeos com os seguidores caíram para último nos motivos para utilizar redes sociais, isto é, as redes sociais estão menos sociais do que nunca e tornaram-se em plataformas nas quais os utilizadores consomem conteúdos: para ocupar o tempo, para se divertirem e para se informarem.

Para interação e criação de ligações mais profundas, os utilizadores preferem o Facebook, seguido do YouTube, do Facebook Messenger, do Instagram e finalmente do Twitter. Para conteúdo leve e divertido, os utilizadores recorrem ao TikTok, seguido do Instagram e finalmente do Facebook.

Como pode adaptar esta tendência à sua loja online: torne os seus conteúdos mais divertidos! Não tenha receio de arriscar um pouco e produzir e divulgar vídeos ou imagens alegres para entreter as pessoas, fazê-las sorrir e ficar bem dispostas.

Também pode trabalhar mais para criar uma comunidade em torno da sua marca. Envolva as pessoas na sua produção de conteúdos e até mesmo nos seus produtos. Envie questionários, descubra mais sobre os seus clientes e subscritores (que redes sociais preferem, que influenciadores seguem, quais são os seus hobbies e o que fazem profissionalmente), em suma, torne-os numa parte ativa e relevante do seu negócio (como disse no ponto anterior, as pessoas gostam de participar).

Outra grande tendência que ganhou viralidade com a pandemia foi a divulgação de conteúdos mais realistas. Mais do que nunca é positivo, e até desejável, que seja genuíno nos seus conteúdos, transparente e que não comunique um estilo de vida irreal e “perfeito”. Use os seus clientes e os seus colaboradores nos seus conteúdos; admita quando erra e comunique o que fez para melhorar. Peça aos influenciadores que trabalham consigo que comuniquem os seus produtos de forma mais realista.

3. Os consumidores mais velhos estão a usar mais as redes sociais, os serviços de mensagens e apps devido ao surto

Muitos consumidores que agora estão a fazer as suas compras online estão a fazê-lo para evitar pessoas e por conveniência. Isto significa que, para muitos, a pandemia vai impactar o comportamento do consumidor a longo prazo, mesmo com a reabertura das lojas.

Também os consumidores mais velhos começaram a adotar novos comportamentos, provocados pela necessidade de não ficarem desligados do mundo. Estes “novos” utilizadores das redes sociais estão finalmente a ser absorvidos pelo mundo das redes sociais e das vendas online.

Como pode adaptar esta tendência à sua loja online: as empresas devem continuar a agir proativamente, tornando-se cada vez mais disponíveis em canais privados, como o Facebook Messenger e o WhatsApp.

Se ainda não instalou o chat do Facebook Messenger na sua loja online, não espere mais e instale-o agora. Se ainda não criou um WhatsApp para a sua empresa, crie um agora e anuncie qual o número através do qual a sua marca pode ser contactada via newsletter e redes sociais.

Existem muitos potenciais clientes que querem falar consigo e colocar questões sobre os seus produtos, ou sobre como comprar na sua loja online, mas não querem fazê-lo publicamente. Torne-se mais disponível através destes canais privados de comunicação e comprove como os pedidos de ajuda e de esclarecimento aumentam.

4. Os utilizadores mais jovens têm consumido preferencialmente conteúdos em livestreaming nos últimos meses

Muito antes do impacto da pandemia nos hábitos de consumo das redes sociais, havia já um claro apetite por vídeo e conteúdo ao vivo. Há anos que ando a falar que “este ano é que vai ser o ano do vídeo” e a verdade é que nos últimos anos o consumo de vídeo online tem sempre vindo a aumentar.

Cerca de 96% dos portugueses com acesso à internet assiste a conteúdos de vídeo. O YouTube é a rede social mais popular do país, superando o Facebook.

Sendo que 23% dos consumidores a nível mundial tenciona continuar a assistir a mais vídeos nesta realidade pós-surto, o futuro do livestreaming parece promissor.

Como pode adaptar esta tendência à sua loja online: tem algum produto novo para lançar? Alguma oferta, novidade, ou oportunidade para comunicar em primeira mão? Junte-se a um influenciador ou embaixador da sua marca e anuncie essa novidade num livestream.

5. Os anúncios nas redes sociais têm aproximado os consumidores das marcas durante a pandemia, mas fechar vendas continua a ser um desafio

Quando os consumidores procuram ativamente mais informação sobre uma marca, a pesquisa orgânica ainda é o principal método utilizado, pela generalidade dos utilizadores.

procurar mais sobre uma marca
Gráfico retirado do GlobalWebIndex’s flagship report 2020

No entanto, a principal forma de descobrirem novas marcas, produtos e serviços foi através de anúncios nas redes sociais, significativamente à frente dos motores de pesquisa e a par com anúncios de TV. E não é pelo facto de o custo das impressões dos anúncios das redes sociais ter caído, que significa que os consumidores estão a prestar menos atenção aos anúncios das marcas.

Como pode adaptar esta tendência à sua loja online: um exemplo é criar anúncios que mostrem como a empresa está a responder ao coronavírus. Por exemplo, várias empresas aproveitaram a pandemia para começarem a vender online D2C, direct to consumer, como foi o caso da Panike. Os anúncios nas redes sociais Facebook e Instagram são fundamentais para comunicar estas novidades aos seus seguidores, subscritores e clientes!

Se os seus conteúdos, de uma forma geral, devem ser relevantes, genuínos, realistas e até mesmo divertidos, os seus anúncios ainda mais. Não é por ser um anúncio que deve parecer um anúncio – muito pelo contrário. Promova os seus conteúdos orgânicos que geraram mais interações e que tiveram mais alcance, pois se funcionaram bem organicamente, com algum investimento terão ainda melhores resultados.

Para finalizar, lembre-se que precisa de ser mais estratégico do que nunca ao selecionar as redes sociais adequadas para estar presente, quais os influenciadores que vai selecionar para colaborar e quais as mensagens a comunicar a fim de criar uma base forte para gerar vendas.


Sónia Costa
Sónia Costa

Social Media & Digital Marketing Consultant